Deputado Derrite preside Sessão Solene em homenagem aos Heróis de Brumadinho

O plenário Ulysses Guimarães, na Câmara dos Deputados, em Brasília, foi tomado por muita emoção na manhã do dia 14 de março de 2019. Mais de 400 militares estiveram presentes na sessão solene, proposta pelo deputado federal Guilherme Derrite (PP), em homenagem aos militares do Corpo de Bombeiros que atuaram no resgate do rompimento da barragem Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG). Entre eles, o Comandante Geral do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, Coronel Edgard Estevo da Silva.

Derrite, que presidiu toda a solenidade, evidenciou o empenho dos militares. Ele falou sobre os trabalhos com conhecimento técnico que tem, já que é o único bombeiro da Câmara hoje, e também com a vivência da visita que fez a Brumadinho. “Em nenhum momento vi alguém reclamando sobre o trabalho pesado, sobre a lama que invade a farda, sobre os vários dias longe da família e nem sobre os salários atrasados e parcelados. Só estão preocupados em salvar vidas. Isso é ser bombeiro. E ainda tem quem diga que militar tem privilégios. Diante de tudo isso, não tem como não lutar pelos meus irmãos”, destacou. 
O desastre aconteceu no início deste ano, em 25 de janeiro de 2019. De acordo com a Defesa Civil, até o momento, foram registrados 203 mortos, 105 desaparecidos e 395 pessoas localizadas. A ação contou com o trabalho de mais de 750 bombeiros de Minas Gerais, 12 equipes de outras partes do país e, também, com o apoio de 130 militares de Israel.

O deputado encerrou a sessão solene com um recado para os colegas parlamentares que estiveram presentes na homenagem. “Peço a todos os senhores o mesmo empenho para quando tramitarem nessa casa projetos de lei não só para homenagear em sessão solene, mas, também, para valorizar os nossos heróis militares estaduais, federais e os bombeiros militares”, discursou.

Diário da visita a Brumadinho

Cinco horas da manhã do dia 28 de fevereiro. Saímos de Belo Horizonte com destino à cidade que conhecemos tanto pela mídia, mas que eu nunca tinha nem pensado em pisar um dia. Mas pra quem tem o ofício de bombeiro no coração, esse chamado fala mais alto. Depois de cerca de duas horas de viagem, chegamos a Brumadinho. Logo na entrada da cidade, ainda no letreiro, já deu pra sentir que o dia seria inesquecível. Antes de chegarmos ao local do incidente, passamos pelo centro da cidade, que ainda tenta se recuperar da tristeza que assolou o coração de todos. Bancos, comércio, pessoas nas ruas, tudo normal. Mas o olhar das pessoas ainda não estava normalizado. Alguns quilômetros depois, o choque de ver aquela cena que até então só tinha visto pela TV e internet. A lama arrastou tudo, e agora é até difícil de imaginar que por aqui havia casas, famílias. Fomos então até a base dos Corpos de Bombeiros que atuam nas buscas pelos desaparecidos. Já sem a esperança de encontrar pessoas com vida, agora a missão é devolver a honra às famílias que não tiveram uma prova física da perda de um ente querido. É aí que começa o inacreditável. Homens que trabalham sem cessar por jornadas longuíssimas e sem reclamar de nada. Com garra, com afinco. Todos trabalhando na lama, agora com a ajuda de máquinas, e na base, calculando a melhor forma de agir em campo. Eu não tive escolha a não ser vestir minha farda e participar desse trabalho também. Essa visita me fortaleceu para minha pequena missão diante disso tudo: a Sessão Solene em homenagem aos Heróis de Brumadinho.

Share on facebook
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp
Share on telegram